Momentos de Mensagens e Poesias

domingo, 18 de abril de 2010

NO PONTO DE ÔNIBUS

Sozinho
Acredito que não
Há sempre alguém que passa
na minha contramão

Um vai, Eu fico
E no previsto
Avisto
E bem previsto
É a minha condução

Eu vou
Ninguém fica
E nem me arrisco
O ônibus passou, falsa intuição

Calado, sozinho
Escrevendo o tempo passou
Sozinho, Assustado
De repente uma voz:
É uma assalto!
Era meu amigo
Olhei, fingi, assustado, me despedi
No ponto de ônibus
Meu amigo me deixou

De longe, avisto
É a minha condução, verdadeira intuição
Lotado, em pé, cansado e preparado
não tinha dinheiro trocado
O cobrador fingindo que é um carrasco
Eu, simplesmente eu, educado, pedir ao motorista
descer pela frente que lá atrás têm muita gente
e o cobrador está sem um trocado.

Desci, agradeci, sai, como se nada tivesse acontecido
de longe eu avistei,
A condução que deixei pra trás.

(Ivanderlan Siqueira)

Nenhum comentário:

Postar um comentário