Momentos de Mensagens e Poesias

sábado, 28 de setembro de 2013

SE POR UM ACASO...

eu te visse novamente
cruzasse em meu caminho
apagaria todos os versos
rasgaria todos os rascunhos
queimaria todas as poesias
escrita sobre a saudade.

se o por acaso existisse
infelizmente nunca existirá
construiria outros momentos
desenharia outros personagens
escreveria outra história
a onde eu pudesse te encontrar.

Se por um acaso...

tivesse de voltar pra trás
e todos os rastros
de tristezas e perdas
fossem apagadas, 
eu voltaria,
voltaria, porque?
meus sonhos poderiam se realizarem,
meus desejos seriam contemplados
minha vida era outra vida
com a tua presença.

Se por um acaso...

eu pudesse nascer novamente,
nascesse da água e do pão
do Espírito que fortifica me
o que você sempre dizia:
quanto mais se têm
nunca se tem nada
quanto mais se ama
mais se perdoa
quanto mais se odeia,
muito mais se distancia
dos conceitos de Deus.

Se por um acaso...

eu te visse pela rua
gritaria o teu nome
que ecoa em minha garganta
entala a minha voz
sufoca a minha respiração
destrói minhas veias artérias
de uma matéria
cheia de tantos por acasos.

Se por um acaso existir...

(Ivanderlan Siqueira)

A SANFONA SEM O TOCADOR

Toda porta precisa da maçaneta 
Como todo triangulo sem baqueta
Ambos sem ambos
Não são nada
A sanfona sem o tocador
O tocador sem a sanfona
Ambos
Também 
É nada.

Nas festas do sertão
Nas quadrilhas de São João
No arrasta pé no salão
No sitio do Seu mané
O forró sem candeeiro
Não tem mais sanfoneiro
Sem Luiz
Sem Marcolino
Agora Dominguinhos
O forró ficou sozinho.

A sanfona sem o tocador
É poesia sem rima
Versos sem letras
Letras sem palavras
Canção sem melodia
História sem inicio
Inicio sem história
Assim é o forro
Sem o nosso Dominguinhos.

A sanfona parou,
O tocador descansou
O forro ecoou na estrada do destino.

(Ivanderlan Siqueira)

Acostumar em um caminho bom,
é saborear a vida com mais prazer,
é rever os conceitos
os defeitos que nos atrapalham
acostumar em um caminho bom,
é rever a vida,
é dar a oportunidade a felicidade.

(Ivanderlan Siqueira)

Quando as decisões se tornam doloridas,
Dois corações sofrem amargamente,
E as decisões não são pra magoar
É pra preservar o futuro
Dos dois corações que acreditaram.

(Ivanderlan Siqueira)

CAMINHO ERRADO

estava trilhando em caminhos errados,
minhas noites eram de pesadelos,
muitas madrugadas entre amigos,
quanta coisa errada eu fiz
tentando preencher um vazio.

quantas noites a tornei em vãs 
e as manhãs cansado de tudo,
cansado da vida,
sem expectativas,
e em uma manhã diferente,
vi o teu olhar.

é como o sol brilhasse em uma direção
e existisse só um caminho
você e eu,
eu e você,
tentando encurtar este caminho
errei a direção,
tentei refazer
era tarde da noite,
não conseguirei acerta
o caminho de volta. 

(Ivanderlan Siqueira)

POR ONDE SE CAMINHA?

Não sei caminhar em uma estrada sozinho,
Preciso de sua ajuda,
vem me ajudar,
Estou sem direção
Com a alma aflita
E com cede de te encontrar.

Já tentei refazer minha história,
Recontar os dias para trás,
E lembrar dos tempos juntos
Nos bailes da vida
Na noite de um luar.

Já clamei aos céus,
Tenhas piedade de mim
Eis um homem aflito
Com saudade de ti,
Meu coração te chama
Amor, amor, amor!
Volta!

Não sei caminhar sozinho,
Tantos caminhos percorridos,
Em poucas horas
Se errei, vacilei
Pensei, confiei em minha capacidade
Acreditei em me mesmo.

Oh Céus!
Estrela da manhã,
Faz brilhar no coração dela
A nossa estrela do amor,
Que brilhava nossa estrada,
E desenhava as mesmas pegadas
Juntinhas na arei do mar.

Há onde é o caminho?
Por onde se caminha?

(Ivanderlan Siqueira)

Não escrevo pra agradar todo mundo,
têm uns que preferem batata frita com arroz, 
há outros feijão com arroz,
já o outrem,
prefere arroz com filé mignon,
o que importa,
é respeitar a opinião de cada coração.

(Ivanderlan Siqueira)

SE EU TIVESSE O DOM DE ESCREVER

Se eu tivesse o dom de escrever,
escreveria sobre o amor,
relatava os sonhos de um apaixonante,
contaria os segredos dos casais de namorados,
revelaria o quanto é importante o amor.

se eu tivesse o dom de escrever,
escreveria uma história linda,
a onde o impossível poderia acontecer,
o improvável não existiria.

quem sabe um dia desses,
o dom de escrever
venha conhecer me.

(Ivanderlan Siqueira)

“Se teus pensamentos são pequenos,
Todas as suas idéias serão pequenas,
Uma obra se torna grande,
Quando o construtor já inicia,
Se teus pensamentos são pequenos,
Jamais teus sonhos serão gigantes.”

(Ivanderlan Siqueira)

UM TRAJETO, E UMA LAGRIMA

no dia em que eu chegar no meu trajeto,
serei um vaso vazio
uma vasilha cheia de lembranças
uma lagrima irei derramar.

serei uma espécie de telecine
em que muitas cenas irão passar
e em cada cena, uma lagrima
quando eu era um menino
nesta casa eu vi morar
mamãe era o meu guia
o sonho nosso de cada dia.

Nesta rua que passarei,
cicatrizes que eu deixei,
vou fingir que curou
se doer
não vou chorar, 
se chorar não me envergonharei.

Na praça central
na igreja da matriz
por onde eu passarei,
vou sentar e procurarei
a varredeira de rua
na simplicidade fez seu caminhar.

irei em sentido ao destino,
traiçoeiro, 
um forasteiro em nosso habitar
visitarei a casa de Papai
que um dia fui visitar
era ainda um moleque
se o trajeto for difícil, 
e uma lagrima derramar,
vou deixar cair,
pra secar com a saudade
de um tempo que não voltará.

(Ivanderlan Siqueira)

A INSPIRAÇÃO

Nunca esquecerei o sorriso da inspiração
Muito menos do seu olhar
Suave como o ovário da manhã
Um espetáculo como as ondas do mar.

Irei procurar apaziguar o coração
Explicar e entender qual a razão
Da minha inspiração fugir
Levando consigo os meus versos.

com um papel em branco
lápis na mão
na mesa uma borracha
tento escrever nosso verso
com excesso bons de lembranças. 

Não esquecerei da noite
Da noite do meu bem
Em que escrevia o verso
Dar um sorriso
Quero ver tuas vestes.

Era
Eu, o silêncio da noite
E a inspiração
Não esquecerei do sorriso
Muito menos do teu olhar.

Se um dia a inspiração voltar
Preservarei meus sentimentos
Guardarei meus versos
Refrigerarei a minha mente
Escreverei outros versos.

Era,
Eu, o silêncio da noite
E a inspiração.

(Ivanderlan Siqueira)

FESTA NO SERTÃO PAJEÚ

lá pelas bandas de São Vicente
sertão do meu pajeú
ainda é época de forro 
todo mundo vai pra festa
balançar os esqueletos
a carne no espeto
pode virar até torrão preto
a visita vai sair com desfeita
pouco importa a razão
é dia de festa
lá nas bandas do meu sertão.

O carro está cheio
vamos pra desterro
itapetim hoje não tem não
em São José do Egito
foi no principio
livramento se tento
neste momento
é não desistir.

Bora?
a festa vai começar

(Ivanderlan Siqueira)

no ensinamento da vida
encontrei com a fantasia
a fantasia da felicidade
não tem tempo
não tem idade
tem química
tem saudade
no ensinamento da vida
priorizei a felicidade.

(Ivanderlan Siqueira)

de todas as coisas que tenho
e das que não tenho
pretendo ter
no porvir da vida
acredito em conseguir
é um mérito
conquistar um sonho meu.

(Ivanderlan Siqueira)

errar um caminho é humano,
permanecer é sinônimo de estupidez.

(Ivanderlan Siqueira)

A mentira é uma vergonha
É sentimento destruidor
Quem caminha na mentira
Prefere sentir
O cálice da ira
Do próprio labor
A mentira é um roubo
Rouba a confiança
Mata a integridade
Envergonha o autor.

(Ivanderlan Siqueira)

Caminhar na praça
Rever os amigos
Contar os contos
De outro momento
Sonhar distante
Acreditando na vida
Em uma aprece atendida
Sentar na praça
Sonhar um sonho acordado
É um prefácio de um sonhador
No vai e vem de gente
Alguns nem conheço
Outros são diferentes
Daqui pra frente
Eu vou acreditar
Em meus sonhos
Posso realizar.

(Ivanderlan Siqueira)

A EMBARCAÇÃO 

Em um barco a deriva
Com destino ao horizonte
Bussola da direção
Coração predestinado
surgem as turbulências
Paciência,
A vida tem que caminhar!

Em um barco na beira do cais
Se sente seguro
Por suas tripulações
Chove forte em um mar forte
Com as ondas do medo
Surpreso!
Não posso desanimar!

Com a luz do farol
A procura do barco perdido
Sofrido no alto mar
Noite escura
Embarcação aflita
Luz de emergência
Aponta se na direção do cais
Em terra firme
Se ver um olhar
Felicidade,
Nunca pode deixar escapar!

(Ivanderlan Siqueira)

Ter o poder de não ser
Ser e poder de não ter
Ter e ser
Ter pra você
Ser pra você
Um sonho realizado
Ser pra você 
Ter pra você
Um amor especial
Ter o poder de não ser
Ser e poder de não ter
Ter e ser
Possuir
Se formar
Verbos que conjuntam
Com o verbo amar.

(Ivanderlan Siqueira)

Se dia a lua encontrar com o sol
os dois se tornará em um só
a lua se esconderá com o sol
o sol se esconderá com a lua
ambos se tornaram 
duas histórias
em um só momento.

(Ivanderlan Siqueira)

A MORTE E A CURA

Você é como uma doença incurável
sem antivírus, sem anti corpos
a medicina não descobre este vírus
que me mata aos poucos
no mesmo tempo que fico doente
do outro lado você mim cura.

Já tive varias recaídas
uma mais grave do que a outra
fui desenganado pelos médicos
reclamei com o destino
pra refazer minha estrada
no mesmo tempo que fico doente
do outro lado você mim cura.

Já tomei ervas naturais
já procurei um curador
pra aliviar essa dor
já pedi aos céus
pra cuidar de mim
no mesmo tempo que fico doente
do outro lado você mim cura.

(Ivandrlan Siqueira)

ser poeta, é ser vários coisas ao mesmo tempo
ser poeta, é viver sem viver pra si
é viver por alguém, através das histórias,
ser poeta, não tem limitações
o limite é a inspiração.

(Ivanderlan Siqueira)

O caminho torna se impossível,
Quando criamos utensílios 
O impossível será visível 
O talvez será a segurança
A incerteza será a certeza
De um caminho sem expectativas.

(Ivanderlan Siqueira)

Acorda de manhã
Encarar a labuta
Cumprir com a palavra
Sim, sim, não, não
Passou disso
não procede do coração
a prudência vem de Deus,
o talvez
pertence aos outros deuses
perdidos na escuridão.

(Ivanderlan Siqueira)

Escrever sobre a vida é sinônimo de Deus,
Quem escreve sobre a vida,
Escreve e transcreve as características
Da essência de um Deus
Que tudo faz pra quem
Procura e faz
Amar o próximo como a ti mesmo.

(Ivanderlan Siqueira)

Andando pela rua
Era o fim do labor
Noite fria e tristonha
Aproximei do carro
Com os vidros embasados
Pelo sereno da madrugada
Com o dedo sobre o mesmo
Escrevi o nome dela
Abrir a porta
Liguei o carro
Acelerei ,
Pé na estrada
Olhei no retrovisor
O carro esquentou
Sem perceber apaguei o nome dela.

(Ivanderlan Siqueira)

Nunca tenha medo de amar,
O amor não te trará incerteza,
É uma proeza poder amar.
Nunca desacredite no amor,
As histórias mais lindas e impossíveis
O amor resgatou.
Nunca tenha medo de amar,
Pois,
Sem amor nada sereis...

(Ivanderlan Siqueira)

O amor não é corrupto
Nem estúpido pra aceitar
A desonra de um caminho
Por onde muitos sabem caminhar.

(Ivanderlan Siqueira)

Se fosse pra contar as horas pra te ver,
Começaria no zero, e terminaria no hum.

(Ivanderlan Siqueira)

No teu jeito de menina,
no teu jeito de mulher,
o poeta perde a rima,
o homem não sabe o que quer.

(Ivanderlan Siqueira)

revirei todas as minhas gavetas da inspiração,
despercebido não tinha visto o pequeno verso,
escrito em um momento não previsto
vivido
entre eu e a minha grande paixão,
minha filha.
“quando você chora, minha alma implora,
quando você sorrir, minha alma ressuscita,
quando ao choro, meu corpo fica morto,
quando sorrir, meu coração volta pra dentro.”

(Ivanderlan Siqueira)

DO NORDESTE AO SUL

peguei carona com o destino
sai da minha cidade ainda menino
minha são Vicente
aqui pro filhos ausentes resta saudade,
passei por itapetim
cidade feita pra mim
representando o meu lugar
nos registros federais
parti pro meu destino,
chegando em São José do Egito
percebi que éramos do mesmo grito
não o grito da independência 
mas, o grito da mesma filosofia
tínhamos a mesma escrita
ali me despedia
do berço imortal da poesia.

Passei da Bahia,
Cruzei rios
cruzei mares
subi montanhas
andei em campinas
enfrentei o frio
cheguei cansado
com saudade de uma partida
chorei
sorri
cantei
lamentei
quando menos esperei
avistei a cidade que não dorme
São Paulo
cheguei no sul do Brasil.

(Ivanderlan Siqueira)

por alguns instantes 
mudei de caminho
pisei em um espinho
fiquei sem voz
perdi os sentidos
coração desacelerado
voltei ao acaso
perdi a inspiração
coração sentido
amor proibido
foi embora razão.

(Ivanderlan Siqueira)

rei roubar uma estrela pra poder bilhar,
este é o pensamento de um tolo,
não tem capacidade de luz própria,
procura em outras estrelas,
o brilho de um olhar.

(Ivanderlan Siqueira)

não se caminha por onde há espinho,
nem atravessa uma ponte sem o horizonte,
nunca se diz nada,
a onde não se encontra ninguém ,
pra quer enviar uma carta sem destino?
procurar sem encontrar
poetizar sem versos.

(ivanderlan Siqueira)

na minha molequice
já fiz tanta maluquice,
e hoje não arrependo do que fiz
já briguei com os moleques
por causa do pé de moleque
até por uma menininha
na minha molequice
fiz muitas besteirinhas
quebrei a vidraça da escola
mexia com quem pedia esmola.
coisa de molequice.

(ivanderlan Siqueira)

acordei um pouco entristecido,
com o coração ferido
por não saber caminhar
em uma estrada estranha
no vai e vem de gente
que não está nem ai pra gente
acordei assim.

(Ivanderlan Siqueira)

ACORDA BRASIL

Sou brasileiro do sertão nordestino
O meu destino era mudar de estrada
Seguir outro caminho em rumo à cidade grande
Cidade que me acolheu
Nas horas mais difíceis da minha vida
Sampa
Terra da garoa
São Paulo
A cidade que não dorme.

Sou brasileiro com o mesmo sangue
Daqueles que saíram as ruas
Caminham pelas pontes e viadutos
Pelas avenidas das cidades brasileiras
E cansaram de assistirem
As novelas de todos os dias
De todas as eleições.

3,20 é um roubo
É um país engraçado não tem escola,
não tem saúde
nem código penal legitimo e decisivo
é um país engraçado
só tem estádio.

Sou paulistano adotivo
Sou pernambucano de nascença
Sou mineiro 
Sou baiano
Sou paraibano
Somos todos valentes
Essa luta vai seguir em frente.

Acorda Brasil!

(Ivanderlan Siqueira)

POR UMA SIMPLES TECLA, FIZ O MEU BRASIL CHORAR

Chorar de vergonha
por tantas corrupções
uma nação abandonada
setores públicos uma calamidade
menores causando atrocidade.

Por uma simples tecla,
fiz o meu Brasil chorar...

Chora de revolta
de tantas idas e voltas
as mesmas gravatas de Lino fino
os mesmos personagens
Um tal de Genuino
Palocci,
em minha terra tem outro nome
Zé Dirceu, o Brasil se fudeu
Cancão (Fictício)
imagens do cão.

Por uma simples tecla,
fiz o meu Brasil Chorar...

Confirmei
a tecla era anular
em branco
não fosse votar
Entreguei em mãos erradas
e agora?
quem mama não chora
quem chora não mama
e quem rouba?
mama nas tetas da vaca
deixa a vaquinha pra lá
errei 
é Brasília.

Por uma simples tecla,
ferrei o meu Brasil.

(Ivanderlan Siqueira)

NA PALMA DE TUA MÃO EU...

Adormeci quando criança
Nas noites traiçoeiras
Alimentava me com a pureza
E a plenitude do teu olhar
De um olhar cuidadoso
Sem ao menos vacilar.

Na palma de tua mão
Ensinava me os primeiros passos
Um caminho
Uma direção
Tropeçava
Ali você estava
Era uma verdadeira guardiã.

Na palma de tua mão
Andei na linha do tempo
E se por um momento
Eu voltasse a ser criança
Escreveria um verso
Desenharia um coração
Uma frase na palma de tua mão
“ você deveria ser eterna”.

Na palma de tua mão
Eu acordei,
Vi um mundo diferente
E o meu maior presente
Estava aqui
Estava ali
Aqui está
É você mamãe.

Na palma de tua mão eu...

(Ivanderlan Siqueira)


ENTRE AMIGOS

Um amigo aproximou se e disse me:
As circunstância da vida é que ensina a sermos amados,
quando amamos além do impossível ,
muito mais se é dado é cobrado.

Continuou com lágrimas nos olhos.

eu me lembro de quando o meu Pai,
estava entre nós ,
estava velhinho
era o Pai que eu tinha pra cuidar,
por descuido da vida,
sua perna teve que ser amputada,
perdia se o elo da caminhada.

pouco importasse as dificuldades,
eu tinha o prazer de caminhar ao seu lado,
ou melhor, atrás,
empurrando uma cadeira de roda
era sua rotina
e a minha sina era ensinar lho
como fez quando eu era um menino,
o seu fascino.

Certa vez, 
o levei ao supermercado,
ao ver um carro motorizado,
especial para deficientes,
ele fez uma alegria ao dirigir aquele carro,
deu muitas voltas ao mercado,
e o meu maior fracasso,
tínhamos que ir embora pra casa.

O meu dinheiro era pouco,
me bateu um desgosto,
eu queria voltar
ao ver meu Pai todo feliz,
naquele carro de supermercado,
eu não quero mais voltar.

Completei...

das tua lagrimas eu faço,
da tua lembrança a minha também,
vivi o mesmo sonho,
não realizei nenhum desejo,
você foi privilegiado,
ao ensinar ao seu Pai caminhar,
e eu,
que andei por terras estranhas,
nem se quer um abraço eu pude dar.

e ele disse me:
as circunstância da vida eleva nos a amar,
muito mais do que se recebe,
a ir se percebe o valor de um Pai,
tinha dia que acordava cansado,
tinha noite que eu não dormia,
amigo
entre nós,
eu queria voltar.

(Ivanderlan Siqueira)


PERDAS E ESPERAS

aprende se muito com as perdas,
e quando se abriu a porta,
por uma brecha 
a espera apareceu,
assim como se aprende com as perdas,
também se aprende a esperar,
acreditar no amanhã,
por mais que os tempos castigue nos,
mas vale a pena esperar.

aprende se muito com as perdas,
mas,
enquanto houver esperança,
as perdas serão degraus,
para elevar se ao encontro da felicidade,
aproveitar os momentos,
esquecer as perdas,
sentir o quanto valeu esperar.

(Ivanderlan Siqueira)

torcer o rosto,
ser humano com desgosto
morder os lábios,
dizem que é sábios
cruzar os dedos,
batem no peito
bater o pé,
isso não é fé
ofender sem direito,
que preconceito
mudar de direção
cuidado com a contramão
travessar a rua
na credibilidade,
"EU SOU MAIS EU!"
percebe se o ser humano
que você é.

(Ivanderlan Siqueira)

não faça do seu coração um monturo de perversidade,
a alegria e o amor conjuntam na caminhada,
se errar o caminho,
volte pra trás,
não é feio errar,
horrível é continuar,
evite o monturo da perversidade.

(Ivanderlan Siqueira)

Não tente desenhar um ser humano,
Com o lápis da perfeição,
Aponta pode quebrar,
O desenho te mostrará,
Falhas no desenho por uma ponta de lápis,
E uma realidade
A decepção
Nunca desenhe um ser humano
Com o lápis da perfeição.

(Ivanderlan Siqueira)

A raiva envelhece,
vira uma peste que assola ao coração,
toda raiva acumulada dar moradia
aos filhos da perdição,
A raiva envelhece,
empobrece o espírito,
por detrás uma overdose,
no coração uma magoa,
cuidado
à raiva envelhece. 

(Ivanderlan Siqueira)

OI! NÃO É UM ADEUS

sentir teus olhos nos meus,
ouvir a mesma canção,
sentir nossos corações
mãos entrelaçadas,
queria secar tuas lágrimas
com o meu rosto,
Oi!
não é um adeus.

Se o tempo nos levarmos
a uma estrada diferente
no coração sempre ficará
uma história registrada
a onde o sol vivia com a lua
ou,
dois corações apaixonados,
oi!
não é um adeus.

se passar pela rua
e fingir que não me viu
olhe,
e nossos olhares cruzaram
lembranças surgiram
momentos
desejos e sonhos
Oi!
não é um adeus.

e quando a noite iniciar
sentirei a tua falta
buscarei abrigo
nos livros,
farei uma oração
pedindo misericórdia
Amor,
Oi!
não é um adeus.

(Ivanderlan Siqueira)

Faça de conta que estou ai
se você sentir o vento
foi eu que passei
o calor
foi eu que te abracei
se ficar nervosa
saiba foi eu que torci
pra você lutar pelos seus direitos
se chorar
saiba que eu estou com saudades.

(Ivanderlan Siqueira)

Não olhe com maldade pra alguém,
isso dar cegueira,
perde se a visão,
não espere palavras que edificam,
por alguém que foi ofendido
se perde a ética, se a perde a moral
quando age com violência
sem paciência
na consciência
o importante é perdoar.

(Ivanderlan Siqueira)

eu queria me tornar um nada,
porque do nada não se tira nada,
já que não pode ter o que não se pode ter,
é melhor se contentar com o nada,
um nada de sentimentos
um nada de momentos,
um nada de caminhos não traçados,
um nada de poesia.

(Ivanderlan Siqueira)

escrever uma carta,
com o destino de um coração,
na ânsia de encontrar o destino,
perdi me no caminho,
a carta caiu no chão,
encontrei o egoísmo,
refiz outra carta,
entreguei ao destino,
quem sabe pela ordem da criação
este coração,
se sinta perdoado por tantas razões.

(Ivanderlan Siqueira)

existem sonhos impossíveis?
ou somo nós que construímos obstáculos?
será que é o destino covarde,
ou somos nós verdadeiros covardes,
será,que estes sonhos não podemos realizar?
tantas perguntas em minha volta,
e eu queria uma resposta,
a felicidade existe?

(Ivanderlan Siqueira)

quando as lutas parecem vencidas,
]surgem as novas batalhas;
surgem as novas lutas
pra fazerem nos desistirmos da própria vida;
tolice, 
a vida nos ensina chorar,
como nos ensina a sorrir.

(Ivanderlan Siqueira)

nunca deixe de amar o sangue do seu sangue,
nem fechar as veias artérias do coração,
para não circular a união,
elimine o que não agrada ao coração.

(Ivanderlan Siqueira)

nunca fique triste pela vida que está vivendo,
o acaso acontece por um acaso deixará de existir,
acredite sempre no amanhã após o outro,
e o acaso passará a ser um degrau do conhecimento,
valeu a pena acreditar.

(Ivanderlan Siqueira)

em poucos momentos com mamãe ela dizia me:
nem tudo o que almejamos é para o nosso bem,
muitas das vezes esperamos das pessoas,
aquilo que elas esperam da gente,
mas,
acredite meu filho,
dói mais um não de um sangue próprio,
do que um talvez de um desconhecido.

(Ivanderlan Siqueira)

A tristeza por falta de um sentimento,
fere muito mais do que uma agressão,
pela agressão foi momento de fúria,
pela falta de sentimento,
é colhido aos poucos na vasilha,
quando derramada,
sabe se o quanto dói a falta de um sentimento.

(Ivanderlan Siqueira)

SE EU PUDESSE VOLTAR...

eu abreviaria aquele dia,
que a distância nos separou,
foi embora pra o destino
hoje meu coração eu sinto
flagelado por este amor.

sinto me como o vinho amargo,
sem sabor,
não sei mais o que faço
pra está ao seu lado
proibido pela vida
crucificado por este amor.

Se eu pudesse voltar...

aos teus abraços de amor,
beijos envolventes
perdi me no tempo
hoje sinto frio
amanhã falta me amor.

Ah se um dia eu puder voltar
reconquistaria minha história,
refazia meu coração,
a viver novamente
com o meu amor.

(Ivanderlan Siqueira)

A DIFERENÇA DO BOM E DO RUIM

O lobo vem em forma de ovelha,
trazendo consigo palavras de bajuladores,
ou pra saciar a fome do interesse,
uma pedra em forma de pão
palavras envenenadas como
a serpente do éden.

É como se fosse um agricultor de má índole,
trazendo o joio da toxicidade da imperfeição,
em forma de trigo,
prejudicando o entendimento
se aproximando do interesse
devastando a inocência dos bons pensamentos.

Não é como o bom pescador de vidas,
que lança sobre o mar,
a rede das precações 
palavras que edificam
palavras brandas pra desviar o furor.

O bom pescador de vidas,
conhece o mar,
o tempo de pescar,
as ondas da incertezas
mas, 
torna se firme como a terra
quando precisa alertar.

(Ivanderlan Siqueira)

Alertar um amigo de um caminho obscuro,
por onde caminha a falsidade,
ou interesse próprio,
não é uma critica,
muito menos denegrir a imagem.
alertar um amigo,
por mais que duras são as palavras,
é por um cuidado,
e por zelo,
sem egoísmo
É um amor verdadeiro.

(Ivanderlan Siqueira)

O AMOR NUNCA ENVELHECE

No critério do amor,
Amar até que a vida deixe de ser vida,
Sofrer até que venha à felicidade,
Chorar quando as lágrimas surgirem,
Sorrir quando a alegria aparecer
O amor nunca envelhece.

Dois personagens diferentes,
Amantes de si próprios
Namorados pelo prazer
Casados pela união eterna
Uma aliança amorosa
De beijos e abraços
De idades já vencidas
O amor nunca envelhece.

Personagens de uma história linda
Há principio,
poderia ser um conto,
uma fantasia poética
era uma realidade
entre José e Ana
namorados de décadas
nos momentos em casa
diante dos seus filhos
abraços e respeito
beijos e carinho
o amor nunca envelhece.

Com sua história escrita,
Determinada pelo autor da vida,
Nos exames medicinais
Um raios-X talvez não eficaz
Descobre se que Ana está enferma
Precisaria de muitos cuidados
José com seu amor
Cuidava da namorada
Como no início do amor
Dava banho nos rios cristalinos,
Pedia a Deus um alivio,
Queria caminhar com o seu amor, 
O amor nunca envelhece.

Pela manhã de um novo dia,
Ana resolveu deixar o destino da vida,
E caminhar em pastos verdejantes
A onde não haverá tristeza e nem dor, 
José com olhos vermelhos,
Coração em pedaço
Perdia pra vida
O seu grande amor
Velhinhos pelo tempo
Renovados pelo amor
Nunca deixaram as tristezas
Se apossarem de seus momentos
Momentos de prazeres e amor.

O amor nunca envelhece...

(Ivanderlan Siqueira)

(Fato verdadeiro, bonito e exemplo de vida)

O ENCONTRO DO VÊNUS COM A LUA

O vênus encontrou com a lua,
Sem ermos,
sem formação perfeita,
Na mesma galáxia
No encontro casual,
O vênus namorou a lua
Sem medo do anoitecer,
Da terra dava pra ver,
O vênus namorando a lua.

Enquanto outras galáxias
Netuno permanecia distante,
O sol estava cansado,
longo foi o dia,
A lua relaxava,
Na serena noite dos apaixonados
Na espera de um encontro
O vênus se apaixonou pela lua.

E do céu de brilhante,
As estrelas com seus espetáculos,
Clareava a noite,
E o mar refletia,
Os céus admiravam,
As nuvens se escondiam,
E o fenômeno
Acontecia
Nas noites dos apaixonados
O vênus se encantou com a lua.

(Ivanderlan Siqueira)

Escrevendo um verso,
Imaginei o retrocesso,
Sem verso,
E com expectativas de caminhar
Sem desanimar,
Vencer sem prejudicar,
Amar sem saber escolher
Abraçar quando precisar aquecer,
Escrevendo um verso
Imaginei a força do querer,
Do querer ajudar,
Sem saber a quem,
O importante é amar
amar o próximo 
Como a si mesmo.

(Ivanderlan Siqueira)

A DECISÃO

A decisão as vezes dói,
Como nos ensina a olhar,
o mundo diferente,
A decisão fazem cair lágrimas,
E um sorriso bonito
Se torna calado,
Meio apagado,
Sem vontade de vencer.

A decisão às vezes dói,
Coroe por dentro,
Se tento,
É esquecer,
Mesmo dolorido,
Fingir que não dói
Pra sobreviver.

(Ivanderlan Siqueira)

Assim perguntou um amigo poeta:
Liberdade, independência?
Aonde estão de verdade? 
Imaginei algumas situações,
procurei por tantas razões,
e nenhuma foi encontrada
lembrei me
recentemente
ta aqui na minha mente,
se aposentar por invalidez,
pra fugir da cadeia
político esperto e eficaz 
pede bis,
outra vez.

Liberdade, Independência?
Aonde estão de verdade?

em um desfile da alvorada,
elegância e luxaria
transmissão ao nível social
Atenção
Gabriel Pensador
maresia,
sente a maresia,
Hipocrisia essa fantasia de desfilar 
pela ordem
e pelo progresso
que escassez.

Legião urbana!
geração coca cola
vem agora,
o povo pede esmola
se depender da bolsa família,
Liberdade, Independência?
Aonde estão de verdade?

é meu caro poeta,
deixa o verso se torna verso,
poesia contar fantasia,
vamos contar,
quem sabe um dia
agente chega lá.

1,2,3,4,5,6,7,8,9,10,11,12...

Ufa!
cansei !

(Ivanderlan Siqueira)

A grande curtida da vida,
é compartilhar com os amigos,
momentos bons e inesquecíveis,
como a velha infância,
a juventude na escola,
os meninos jogando bola,
excluir da vida,
o desafeto do coração.

(Ivanderlan Siqueira)

Quando Deus escolhe o homem,
Não escolhe por capacidade,
Muito menos pela religião,
Ele escolhe por caráter
Analise o seu coração.

(Ivanderlan Siqueira)

QUEM É ESTE HOMEM?

Sem te conhecer,
Não conhecia tua história,
Nem sabia que você existia,
E ofertou sua vida por me,
E por você,
Enfim,
Ele acreditou.

No meio da multidão,
Caluniado,
Invejado pela sua sabedoria,
Era formado pela vida,
Ou a vida foi formada por Ele,
Mais uma vez,
Ele acreditou.

A seu amigo Pedro,
Simplesmente perguntou:
Tu me amas?
Hoje tu me negarás por três vezes!
E por quantas
E tantas vezes
O amamos
E ao mesmo instante
o negamos diante dos amigos,
Dos amores
Das angustias,
Ele não te desamparou.

Quem é este Homem?

De veste brilhante
Sorriso verdadeiro,
Ombro amigo
Herdeiro do infinito
Criador do universo
Termino este verso
Com a minha vida entregue
Nas mãos do meu Senhor,

Jesus Cristo de Nazaré,
Agora você sabe
Quem é?

(Ivanderlan Siqueira)

Tem dia que o coração fica sem sal,
Parece uma comida sem tempero,
Sem sabor, sem gosto,
As vezes um desgosto,
Talvez uma partida,
Que vira ferida,
Sabendo que vai passar.

(Ivanderlan Siqueira)

Se o ser humano soubesse amar,
como sabe odiar,
o mundo seria diferente.

(Ivanderlan Siqueira)

Revirando minha gaveta da inspiração,
retirei algumas escritas,
umas com ensinamentos,
outras com o perdão,
retirei da gaveta todas as escritas,
umas de momentos,
algumas de tormentos
por perdas e danos.

Uma escrita enroscou na madeira da gaveta,
não arranquei pra não rasgar,
e essa dizia mais ou menos assim,
“A maior dádiva da vida,
é aprender a ser Pai,
engraçado esta vida,
todo dia se desaprende,
e no instante se aprende a ser pai novamente”.

na intenção de desenroscar,
ficou cravado na madeira da gaveta,
um pedacinho do papel,
que dizia.
Quando passa se a ser Pai,
nosso coração a todo instantes
vive fora do nosso corpo.

(Ivanderlan Siqueira)

VEM

Vem
Vem
Que tem
Abraço pra dar
Beijo pra se beijar.

Vem
Vem
Que tem
O que você quer
Muito amor pra te dar.

Vem
Vem
Que tem
Desejos e prazeres
Pra te satisfazer.

Vem...

(Ivanderlan Siqueira)

ENTRE AMIGOS

Um amigo aproximou se e disse me:
As circunstância da vida é que ensina a sermos amados,
quando amamos além do impossível ,
muito mais se é dado é cobrado.

Continuou com lágrimas nos olhos.

eu me lembro de quando o meu Pai,
estava entre nós ,
estava velhinho
era o Pai que eu tinha pra cuidar,
por descuido da vida,
sua perna teve que ser amputada,
perdia se o elo da caminhada.

pouco importasse as dificuldades,
eu tinha o prazer de caminhar ao seu lado,
ou melhor, atrás,
empurrando uma cadeira de roda
era sua rotina
e a minha sina era ensinar lho
como fez quando eu era um menino,
o seu fascino.

Certa vez, 
o levei ao supermercado,
ao ver um carro motorizado,
especial para deficientes,
ele fez uma alegria ao dirigir aquele carro,
deu muitas voltas ao mercado,
e o meu maior fracasso,
tínhamos que ir embora pra casa.

O meu dinheiro era pouco,
me bateu um desgosto,
eu queria voltar
ao ver meu Pai todo feliz,
naquele carro de supermercado,
eu não quero mais voltar.

Completei...

das tua lagrimas eu faço,
da tua lembrança a minha também,
vivi o mesmo sonho,
não realizei nenhum desejo,
você foi privilegiado,
ao ensinar ao seu Pai caminhar,
e eu,
que andei por terras estranhas,
nem se quer um abraço eu pude dar.

e ele disse me:
as circunstância da vida eleva nos a amar,
muito mais do que se recebe,
a ir se percebe o valor de um Pai,
tinha dia que acordava cansado,
tinha noite que eu não dormia,
amigo
entre nós,
eu queria voltar.

(Ivanderlan Siqueira)


PERDAS E ESPERAS

aprende se muito com as perdas,
e quando se abriu a porta,
por uma brecha 
a espera apareceu,
assim como se aprende com as perdas,
também se aprende a esperar,
acreditar no amanhã,
por mais que os tempos castigue nos,
mas vale a pena esperar.

aprende se muito com as perdas,
mas,
enquanto houver esperança,
as perdas serão degraus,
para elevar se ao encontro da felicidade,
aproveitar os momentos,
esquecer as perdas,
sentir o quanto valeu esperar.

(Ivanderlan Siqueira)

torcer o rosto,
ser humano com desgosto
morder os lábios,
dizem que é sábios
cruzar os dedos,
batem no peito
bater o pé,
isso não é fé
ofender sem direito,
que preconceito
mudar de direção
cuidado com a contramão
travessa a rua
na credibilidade,
"EU SOU MAIS EU!"
percebe se o ser humano
que você é.

(Ivanderlan Siqueira)

não faça do seu coração um monturo de perversidade,
a alegria e o amor conjuntam na caminhada,
se errar o caminho,
volte pra trás,
não é feio errar,
horrível é continuar,
evite o monturo da perversidade.

(Ivanderlan Siqueira)

Não tente desenhar um ser humano,
Com o lápis da perfeição,
Aponta pode quebrar,
O desenho te mostrará,
Falhas no desenho por uma ponta de lápis,
E uma realidade
A decepção
Nunca desenhe um ser humano
Com o lápis da perfeição.

(Ivanderlan Siqueira)

A raiva envelhece,
vira uma peste que assola ao coração,
toda raiva acumulada dar moradia
aos filhos da perdição,
A raiva envelhece,
empobrece o espírito,
por detrás uma overdose,
no coração uma magoa,
cuidado
à raiva envelhece. 

(Ivanderlan Siqueira)


OI! NÃO É UM ADEUS

sentir teus olhos nos meus,
ouvir a mesma canção,
sentir nossos corações
mãos entrelaçadas,
queria secar tuas lágrimas
com o meu rosto,
Oi!
não é um adeus.

Se o tempo nos levarmos
a uma estrada diferente
no coração sempre ficará
uma história registrada
a onde o sol vivia com a lua
ou,
dois corações apaixonados,
oi!
não é um adeus.

se passar pela rua
e fingir que não me viu
olhe,
e nossos olhares cruzaram
lembranças surgiram
momentos
desejos e sonhos
Oi!
não é um adeus.

e quando a noite iniciar
sentirei a tua falta
buscarei abrigo
nos livros,
farei uma oração
pedindo misericórdia
Amor,
Oi!
não é um adeus.

(Ivanderlan Siqueira)
TOME SUA CRUZ E SIGA ME...
em um caminho de paz,
caminhará junto
a mansidão,
o domínio próprio
a certeza de uma manhã.

Tome sua cruz e siga me...

neste caminho
enfrentará os leões do ódio,
os Herodes das mentiras ocultas,
os Sacerdotes das intrigas mundanas,
os Pilatos da inveja pecaminosa.

Tome sua cruz e siga me...

Neste caminho,
quem ama poderá te odiar,
quem se apaixona pode te amar,
quem nunca te viu pode te ajudar,
quem está perto quer te ver distante.

Tome sua cruz e siga me...

Neste caminho,
os fracos se vêem fortes,
os fortes se encontram fracos,
os loucos se vêem sábios,
os sábios nada sabem.

Tome sua cruz e siga me...

tua lagrima se converterá em sorriso,
tua tristeza em alegria
os teus inimigos se dobrará,
todos os ouvidos ouvirá
e toda língua confessará
O meu justo viverá pela fé.

Pra quer temer?
Tome sua cruz e siga me...

(Ivanderlan Siqueira)

Existem flores que brotaram em nosso jardim,
quando chega a primavera floresce
torna se bela,
com aroma agradável ,
no inverno torna se murcha,
perde toda beleza,
no verão torna se espontânea,
acreditando se 
é o centro das atenções,
no outono se esconde entre o verão e o inverno,
não sabe as suas características
causa tempestades a qualquer momento,
nem conhece os seus fundamentos,
toda flor crescida em terras alheias,
com os espinhos das injurias,
perde a beleza,
torna se uma planta carnívora.

(Ivanderlan Siqueira)

Não é a caridade que faz um grande ser humano,
e nem as orações comovem corações ateus;
pra se tornar grande ser humano,
primeiro tem que se tornar pequeno
em atitudes verdadeiras e sinceras,
orar para os que nos perseguem,
vigiar com os que desejam todo mal, 
ser grande ser humano,
ter que aprender a ser pequeninhos
como um grão de mostarda.

(Ivanderlan Siqueira)

revirei a gaveta da inspiração,
na intenção de encontrar um verso,
perdi me no pensamento das lembranças do passado,
retrocedi um passo a mais,
quando percebi,
encontrei um verso por detrás,
por ter pisado no papel,
ficou o meu rastro,
e nas letras cobertas pelo rastro,
encontrei um retrato
revivi a união,
chorei de saudade,
rasquei o papel,
guardei o retrato
acordei pra realidade
chorei de desgosto
pela união ter esfriado.

(Ivanderlan Siqueira)

NO DIA DA ELEIÇLÃO EU NÃO VOU COMPARECER...

vou pra casa da vovozinha
namorar a vizinha do sitio do seu Antonio
vou acordar de manhazinha
tomar chá de hortelã
esquecer que amanhã
vou pegar meu alazã
pra ir na votação.

vou fazer diferente,
quem sabe daqui pra frente,
alguém pode me ajudar,
eu vou em cada vizinhança
pra não perderem as esperanças
saindo do seu aconchego
pra votarem em morcegos
escondidos na alvorada.

quer quiser seguir nesta labuta,
no dia da eleição,
não se engane com declamações
um dia após,
seu filho vai reclamar
lá na escola não tem merenda,
o pai do meu colega sofreu um acidente,
sem consciência,
se tornou um paciente
morreu sem ser atendido
ferido
abatido 
pra quer votar?

No dia da eleição
vou jogar bola
em frente da escola
vou cantarolar
quem sabe neste dia
a gente da minha gente
aprenda a valorizar agente
e faça melhorar.

No dia da eleição eu não vou comparecer.

(Ivanderlan Siqueira)

há flores que murcham,
há outras que exalam o seu perfume,
não perde o seu aroma,
encanta com sua beleza,
resplandece todo o jardim,
destaca se entre outras flores,
pelas suas pétalas da humildade e de amor;
Os cravos do inconformismo vão para o abismo,
e as flores que exalam o seu perfume
permanecem intactas no jardim da vida.

(Ivanderlan Siqueira)

Pra se torna fiel em suas atitudes,
Tem que se ser verdadeiro com o ser humano,
Assim se poderá ser verdadeiro diante de Deus,
três palavras mudam nosso caráter,
Sim ou não
O Talvez não torna o ser humano capaz,
Sim, sim
Não, não
Passou disso,
Não procede do coração.

(Ivanderlan Siqueira)

Agrada te do pão que sacia a tua fome,
Não do pão que o homem produz,
Mas,
O pão que alimenta o espírito 
E fortalece a carne.
O que te alimenta por alguns instantes,
É pão com fermento,
Só tem volume,
Não te eleva ao conhecimento,
De que a paz está acima de nós,
Oh céus olhai por nós.

(Ivanderlan Siqueira)

Com os amigos aprendi...
Escrever a poesia do amor,
A poesia que encanta,
E eleva pra algum lugar,
Ao infinito,
Ao principio,
Ao presente,
Neste momento.

Com os amigos aprendi...

A secar uma lágrima com palavras
Dar amor através de um verso,
Perdoar nas consoantes
Nas vogais, 
Desabafar em poucas palavras,
Confessar em histórias,
O amor pode continuar.

Com os amigos aprendi...

A dividir a cada minuto,
Escrever em cada segundo,
O sorriso de uma criança,
Relatar a vida,
Reescrever novas histórias
Rever os amigos.

Com os amigos aprendi,
A amar muito mais do que receber.

(Ivanderlan Siqueira)

Dizem que a chatice é o meu cartão de visita,
Outros dizem, fingem que dizem,
Preferem dizerem insignificante,
A outros que dizem que me ama a todo instantes,
O que prevalece é a chatice ou amor?
Sei lá,
Dizem tantas coisas,
E entre outras dessas coisas,
O importante é caminhar.

(Ivanderlan Siqueira)

A cada dia que eu curto a vida,
Eu compartilho a essência de viver,
Não excluindo os momentos bons,
Desfaço os desafetos,
Crio uma pagina na vida,
Talvez um álbum de fotografia,
Revejo os momentos,
Reconheço as falhas
Dou um print screen na vida
Revejo todos os bons momentos,
Publico na linda do tempo,
A cada dia que eu vivo,
Eu curto a vida.

(Ivanderlan Siqueira)

Quando se tem uma vasilha cheia de azeite,
Uma lamparina pra clarear os rastros na estrada,
Um caráter além do horizonte,
água que encontrei na fonte,
por onde esteve a mulher samaritana,
aprendi todos os dias,
a humildade é a fonte pra uma vida melhor.

(Ivanderlan Siqueira)

Pra se tornar agradável a todos,
O pouco que é oferecido,
É desprezado sem menor valor.
Pra se tornar agradável em minoria,
Existe uma grande filosofia,
O pouco com Deus é tudo,
O muito sem Deus é nada.

(Ivanderlan Siqueira)

Quando um amigo alerta um caminho,
E os ouvidos nem atentos permanecem,
É que você estará deixando o amigo partir,
Pra o caminho que ele estava,
Se veio foi pra ajudar,
Se não ficar, não é por odiar,
É porque tem outro lugar,
E neste desatino,
Aprende se a valorizar o amigo que partiu
E no meio do caminho,
encontrar um obstáculo,
lembre se do prefácio,
amar o próximo como a te mesmo.

(Ivanderlan Siqueira)

Se por um acaso,
Um amigo te ofendeu no meio da estrada,
Não o deixe sozinho,
Continue no caminho,
Se for o caso deixe o na frente,
Ensine a direção,
Mais nunca o deixe sozinho.

(Ivanderlan Siqueira)

no canto que canto agora
na musica que danço agora
não perderei o ritmo da vida,
no passo que errar,
voltarei do início,
se a musica parar,
não pararei de dançar,
pois, a musica só para no momento
que não pode parar.

(Ivanderlan Siqueira)



NÃO ESPERE SOMENTE EM DEUS, TEMOS QUE AGIR

nem tudo que nos eleva,
nos convém pra uma vida melhor,
as vezes o ser humano
acredita que faz muito pra si próprio,
ou pra outrem,
deixando de amar como antes
por está sempre por perto,
nem senta pra conversar,
como antigamente
nem quando dorme
nem quando acorda
não dobra o seu joelho
pra conversar com Deus,
porque sabe,
que Deus está do seu lado,
em qualquer momento,
em qualquer circunstância.

nem tudo que nos eleva,
nos convém pra uma vida melhor,
Ló com sua visão materialista
escolheu um caminho bom ao seus olhos,
perdendo sua família para a desobediência,
interesse próprio
esquecendo de amar
valorizando a correria do dia a dia,
esquecendo de ouvir a voz de Deus.
Abraão com o coração cheio de uma razão,
foi ao caminho ao contrário dos olhos humanos,
terra estéril ,
caminho espinhoso,
mas, esperançoso,
por amar sempre
por ouvir sempre os conselhos da família,
e sempre ouvir a voz de Deus.
"Eu farei de ti uma grande nação; abençoar-te-ei,
e engrandecerei o teu nome;
e tu, sê uma bênção.

(Ivanderlan Siqueira

Nenhum comentário:

Postar um comentário