MAIS UM FILHO DA POESIA

A poesia perdeu sua prosa
O violão perdeu sua canção
As palavras não se encaixam
Os corações se enrolam
E São José lamenta e chora
A morte do grande poeta
O poeta Zé Catota.

Da rima fazia sua sina
Da sua voz, ecoava versos de inteligência
E sobre uma existência, de um dom que lhe foi concedido
Dos mais belos improvisos
e muito mais previsto era o seu cantar.

Nesta manhã diferente que nasce como outras manhãs
O poeta resolveu improvisar diante do autor da fé
Que durante sua vida relatou sua partida,
que por mais que seja esquecida resolveu nos deixar.

Do ontem que era um canto
Do hoje que é um pranto
De saudade e de dor
Dos versos improvisado,
bem adotado e aceito pelos filhos de São José

Nesta manhã diferente
Nosso amigo derepente,
nada disse simplesmente
calou-se
E assim foi embora, para uma cidade diferente
Encontrar-se com outras gentes que o dia nos deixou

Mais um filho da poesia
Mais um verso incompleto
Mais uma história que termina por aqui.
(Ivanderlan Siqueira)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ROUBA BANDEIRA