RETRATO NA PAREDE

Tinha separado um retrato,
Pra pendurar na parede,
Pra ser exposto,
Pra todo mundo apreciar,
E eu se orgulhar,
Do retrato da parede.

Eram noites,
Eram dias,
Eu e o retrato,
Conversas imaginárias,
De lembranças,
De saudades.

De tantas caminhadas,
Devido à labuta diária,
Quando se percebe,
Os segundos tornaram se minutos,
Os minutos tornaram se horas,
Horas tornaram se dias.

E o retrato na parede,
Já se encontra desbotado,
Sem brilho,
Gasto pelo tempo,
Com molduras rachadas,
Apagadas pelo tempo.

Veio o vento forte,
Arrancou da parede o retrato,
O retrato caiu no chão,
Despedaçou,
Tornou ao pó,
E o que resta,
É lembranças.

(Ivanderlan Siqueira)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ROUBA BANDEIRA