Momentos de Histórias e Poesias

domingo, 6 de novembro de 2016

O OURIVES E O LIXO PRECIOSO


Todos os dias devemos ser como o ourives,
Ao raspar uma barra de ouro na ourivesaria
Deita sobre a terra uma placa de ferro,
Para que as sobras, o farelo de ouro, o lixo precioso,
Não se misture com o pó da terra.
E se por ventura,
as migalhas oferecidas pelo tempo,
por um descuido da vida,
o pó da terra se misturou com o lixo precioso,
o ourives lança sobre a fornalha todo o lixo,
toda a sujeira misturada é queimada,
e o farelo de ouro, o lixo precioso
se torna uma barra de ouro,
limpa e preciosa.
Todos os dias,
Devemos nos lançar sobre o fogo,
E queimar tudo aquilo que não presta,
Os farelos das incertezas,
o pó da inimizade,
as migalhas das intrigas,
aproveitar do lixo,
o que é bom,
o que dar paz e alegria.
Aquilo que incomoda,
lance no fogo,
e se verá,
quanto mais se é lançado,
muito mais é cobrado,
Afinal,
Toda pedra tem um peso e seu preço,
Assim é a vida de cada um.
(Ivanderlan Siqueira)

Nenhum comentário:

Postar um comentário