domingo, 29 de abril de 2018

O PRIMEIRO ENCONTRO


Em cada gesto,
Um cuidar,
Cada olhar,
Cada carinho
Um sentido,
conquistar.

A primeira veste,
Um belo de um penteado,
O perfume mais caro e raro,
o primeiro encontro,
alguém pra conquistar.

Um presente e mais presentes,
Um chiclete pra mastigar,
Quem sabe,
No primeiro encontro,
O beijo alguém vai roubar.

O tempo se torna curto,
No primeiro encontro,
Um absurdo,
As horas passa rapidamente,
Tão pouco pra se amar.


(Ivanderlan Siqueira)

domingo, 15 de abril de 2018

O HOMEM VELHO (de espírito)



O homem velho,
se sente jovem,
Quer namorar com uma mocinha,
Não se contenta com sua velhinha,
Não usa camisinha,
Ainda pensa na vizinha.

O homem velho,
Se perde no tempo,
Tudo caído,
Já tá vencido,
Parece falido,
Ainda quer namorar.

O homem velho,
Quando se encarna,
Nem catuaba,
Nem viagra,
O infeliz quer tomar.

Diferente do homem bom,
De uma só fé,
De uma só mulher,
Seu corpo envelhece,
Mas o espírito,
Sempre se renova.

(Ivanderlan Siqueira)

sábado, 14 de abril de 2018

A ONDE ESTÁ O PRIMEIRO AMOR?



Pela manhã se contempla o esplendor,
E nas primícias de um dia se oferta ao criador,
Honras e glorias,
Saudações ao Rei,
A onde está o primeiro amor?

No inicio o sacrifício de uma vida,
Por um amor sobrenatural,
Não em teoria, mas em prática,
Ações, em caminhadas evangelísticas ,
A onde está o primeiro amor?

Não eras perfeito pelo ser humano que se forma,
Mas, se moldava com a perfeição,
Para que o coração fosse útil e temente a Deus,
Como Jó, quase no pó,
Integro e temente a Deus.

E por caminhar e se achar conhecedor da vida,
Diz que sabe tudo, mas o tudo que sabe,
O deixa sem conhecer o fato verdadeiro,
O primeiro amor,
A onde está?

Em secretos momentos direcionado ao céus,
Joelhos em terra seca, rosto curvado por temor,
Dias e horas em comunhão,
Sem água e sem pão, santidade espiritual,
Eram os frutos da comunhão.

Aos servos com olhar de ternura,
Aos aflitos um olhar de compaixão,
Nas noites traiçoeiras fazia a oração
 “Senhor visita os aflitos, ungi teus servos,
Daí nos a salvação!”.

A onde está o Primeiro Amor?

(Ivanderlan Siqueira)

domingo, 8 de abril de 2018

Série: Brasil, este é meu País – ( a divisão)


Imagine,
O corpo humano,
Se o braço esquerdo fosse pra direita,
O da direita fosse pra esquerda,
Os pês não tivessem as mesmas concordâncias.
Imagine um servo,
Que serve a dois senhores,
Um há de se agradar,
E o outro se aborrecerá.
Imagine,
Uma enxada sem a cunha no cabo,
Será que daria pra capinar o mato?
A semente sem ser lançada na terra,
Daria algum fruto de qualquer espécie?
Imagine,
Um carro de bois,
Um vai pro sul e outro vai pro norte,
Seu dono perderia a direção,
As rodas de um veículo com rotações opostas.
Imagine,
Se a dobradiça da porta fossem intacta,
Nem pra frente e nem pra trás,
A porta não se abriria e nem fechava.
Imagine em uma guerra,
Em um campo de batalha,
O alvo o inimigo,
E não os nossos próprios soldados.
Imagine um País,
Uma pátria,
Cada gente de nossa gente,
Um contra o outro,
Amigo açoitando amigo,
Democracia,
O que é isso mesmo?
Imagine...
(Ivanderlan Siqueira)