terça-feira, 31 de outubro de 2017

o pior ladrão, é aquele que rouba os sentimentos;
E o verdadeiro assassino,
é aquele que mata a fidelidade;
nunca seja cumplice de tantas maldades.

(Ivanderlan Siqueira)

Antigamente


A simplicidade era presente,
A tecnologia com sua ideologia,
Arrancou da gente,
Tantas coisas simples,
Pras meninas,
Bonecas de panos,
Pros meninos,
Carrinho de madeira.

Antigamente...

Uma meia cheia de retalhos,
Entre meninos o futebol começaria,
Na mercearia,
O sabonete comprado,
Vai ter aniversário,
Cobra cega,
Panela de barro,
A alegria da criançada.

Antigamente

Se corria pelos campos de baixo do sol,
Se escondia na luz do luar,
Tinha rodas de amigos pra conversar,
Se tinha medo do Jornal nacional,
Já se mostrava um homem irracional,
Sem amor, sem viver,
Sem conhecer,
a verdadeira simplicidade.

Antigamente

Tudo era diferente,
As sessões da tarde,
Brincadeira mais tarde,
Da novela pra realidade,
O verso mais lido era de amizade,
A canção mais tocada era de amor,
O divórcio era demorado,
Ninguém queria viver separado.

Antigamente,
E a simplicidade...

(Ivanderlan Siqueira)

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Série: Brasil este é meu País - O Sacerto te Fassur(político )


De palavras bem ditas,
Quem escuta se admira,
Elegância em sua dicção,
Em seu templo,
Homens de preto e branco,
De tecidos caros e bem pagos.

Com toda sua cúpula,
Corrupta sem clemência,
Conhecedor das leis,
Enganador das mesmas,
Administrador profano,
A vergonha de um país.

Em seu linguajar,
Se diz inocente,
Em nome do seu senhor, o poder,
Canta um cântico,
“Daqui não saio,
daqui ninguém me tira”.

O sacerdote Fassur,
Babilônico,
Irônico,
Sai na calada da noite,
Para que a cidade não acorde,
E o veja caminhar,
Com suas profecias de mentira.

Brasil, este é meu país,
Governado pelo sacerdote Fassur,
Aonde dar as ordens de espancar,
Torturar cada cidadão com seus atributos,
E deixar todos nos grilhões da incerteza,
O verdadeiro Magor-Missabibe,
Com um significado,
Terror para todos os lados.

(Ivanderlan Siqueira)

sábado, 28 de outubro de 2017

OUTUBRO ROSA - O LENÇO


Eu queria fazer um pedido,
De cabra macho,
Pra todas as fêmeas,
Se possível os machos também,
Mas machos do que eu.

Sabe aquele lenço,
Guardado em algum lugar,
E você nem se quer percebeu,
A falta que ele faz,
Pois é,
 É ele que eu queria.

E você todo machão,
Mas no fundo se tem um bom coração,
Apenas um lenço,
Pra embelezar outras vidas,
De lutas e vitorias,
Vou contar a história.

Tem uma turminha,
De um coração maquiado,
Com o blanche da alegria,
Precisa de muitos lenços,
Pra cobrir outras turminhas.

Este lenço embelezará,
As marcas da quimioterapia,
E por fim deixará,
De ser marcas,
Mas sim,
A beleza da criação.


(Ivanderlan Siqueira)

PAI, O MEU GRANDE AMIGO



Teus sonhos seriam meus
Teu querer será nosso
Meu grande amigo.

Já te pintei de herói 
Já te pintei de bandido
Já desenhei um coração
E no centro das minhas veias artérias
Desenhei-te,
Como o centro das minhas atenções.

Teus abraços seriam minhas forças
Pra encarar o amanhã
Não prevalecer no porvir
Se tornar grande homem
Ao mesmo tempo
diante de ti
Se tornar uma criança.

Tua saudade
É a minha saudade
Tua angustia
ambas
São as mesmas como as minhas
Queria sempre está com você.

Meu grande amigo
Tua voz como o trovão
Tua disciplina como a vida
Teu olhar, como o provir
Orgulho-me
Chamar-te pelo teu nome
Pai,

Meu grande amigo.

(Ivanderlan Siqueira

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

O covarde se enconde no meio dos valentes,
Na hora da peleja é o primeiro a se curvar.
(Ivanderlan Siqueira)

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

A SAFADEZA NACIONAL - O espetáculo


No grande circo Brasil,
palhaçadas e cambalhotas,
e na platéia um bando de idiotas,
Inclusive um deles,
Sou eu.
Nas outras apresentações,
pedaladas
Na verdade, cotoveladas,
Sai daqui,
O picadeiro é meu.
O palhaço não veio,
Em vez de uma graça,
Vem a desgraça,
O palhaço sem máscara,
Rir da nossa cara.
Quem manda no circo sou eu...
A bilheteria está esgotada,
a platéia de 3,20 desapareceu,
É os paneleiros nem se quer compareceu,
pra ver o circo passar.
Caras pintadas e bem pagas,
Caras lavadas estilo Pilatos,
"O sangue desse inocente não é meu";
E lá se vai mais um picadeiro,
Com o espetáculo,
A Safadeza Nacional.
(Ivanderlan Siqueira)

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Nunca espere em troca o que você ofertou pra alguém,
Dar se com a direita sem olhar com a esquerda,
Dar amor sem receber amor,
Ou,
Perdoar sem ao menos ser perdoado,
Use a fé,
Por que tua fé te transformou,
Na criatura que Deus sempre acreditou.
(Ivanderlan Siqueira)

terça-feira, 24 de outubro de 2017

POR DETRÁS DE UMA GRANDE ÁRVORE EXISTE UM PEQUENO FRUTO...

Nas colinas da vida
O que se torna importante
E o que nos refrigera com sua sombra
Isso, a sombra
A sombra da existência
Do onipotente
Com ilustríssima ciência
Explica se o porque
Por detrás de uma grande árvore
Existe um pequeno fruto
A criação.

É um fruto espontâneo
Sentimento profundo
Muito além do mar
nasce mesmo sem existir
gera antes mesmo de gerar-se
E torna-se
o ser importante
Na vida de quem crer e vê
De quem tem e pode dizer
Por detrás de uma grande árvore
Existe um pequeno fruto
Filhos,
 Frutos que nos alimentar como vencer.

Por detrás de uma grande árvore
Este fruto crescerá
Dará fruto conforme sua espécie
Ensinará como vencer.

(Ivanderlan Siqueira)
O brasil é um grande circo,
Quando se abre as lonas,
Muitas caras pintadas,
Contadores de histórias,
Trapezistas em cordas erradas,
A cada espetáculo,
Um palhaço com suas caraterísticas,
Risadas,
Bofetadas,
Ponta pés aos visionários,
Na verdade somos otário,
Acreditar em conto de vigário.

(Ivanderlan Siqueira)

Era quase meia noite...

E no meio do caminho,
Um casal de namorados,
Desconhecidos entre os outros,
Entre si,
Completamente apaixonados.

Em uma vida rotineira,
De beijos e abraços,
Tantos desejos,
Dois forasteiros,
Prisioneiros do sentimento verdadeiro.

Dois corações,
Em um caminho,
Sozinhos,
Cada um,
Seguiu sua direção.

Corações sofridos,
Ardido pela separação,
Inocência,
Por acreditarem em palavras alheia,
Espalhou a areia da desunião.

Era quase meio dia,
Quando tudo se acabou.

(Ivanderlan Siqueira)

domingo, 22 de outubro de 2017

o amor nasce jovem, cresce como um adulto,
aprende como um velho, se entrega como uma criança,
sem maldade, sem interesse,
mas com uma infinita graça,
a fidelidade de ser verdadeiro.


(Ivanderlan Siqueira)
A estrada que eu caminho,
já se foram deixados muitos rastros,
alguns visíveis,
outros apagados.

(Ivanderlan Siqueira)

sábado, 21 de outubro de 2017

No coreto de uma praça...

Ao incrédulo,
Palavras lançadas ao vento,
Sementes plantadas em terras estéril,
Canções desconhecidas,
um jovem pastor,
Sem medo da verdade.

Em cada versículo citado,
Uma esperança ao necessitado,
Enfermos curados,
Coração aliviados,
Um novo dia.

Nascia ali,
Há 40 anos atrás,
Em um coreto,
No meio da praça,
A Igreja Universal.

Libertações dos cativos,
Espirito renovado,
Promessas cumpridas,
Milagres realizados.

Muitas conquistas,
Aquela voz do coreto,
Vai muito além de uma praça,
Travessa rios e mares.

Do coreto para o mundo,
Se leva a verdade,
De um DEUS que pode tudo,
O Seu amor não foi negado,
A cada dia espalhado.

Do coreto de uma velha praça,
Nascia a Igreja Universal.


(Ivanderlan Siqueira)

Um outro dia...

Se conhece a vida
E a própria vida nos proporciona outras vidas
Vida que nos recebem com todo amor,
Vida que passa a ser vida da gente.
Um dia
Conheci uma vida
Que através de outra vida
Outras vidas nos presenteou
Uma vida multiplicada
Como Deus ordenou.
Ah! Um dia
Tinha essa vida
Sorrindo pra toda vida
Hoje neste dia
Perdi essa vida
Que outras vidas me anunciou.
(Ivanderlan Siqueira)

O bom de você...

É te ter todos os dias,
É saber que dentro de mim,
Corre o mesmo sangue,
Que corre dentro de você.
O bom de você...
É que somos iguais,
Somos de sangue e de fé,
Temos as mesmas lutas,
E amamos as mesmas pessoas.
O bom de você...
É saber que dentro da gente,
Existe um pouco de você,
Um amigo,
Como disse minha princesa,
O incentivador.
O bom de você...
Se mostra sério,
Mas em nosso palco,
Faz toda plateia sorrir,
Com sua graça moleque de ser.
O bom,
É agradecer,
A Deus por você...
Meu amigo,
Meu irmão,
Meu coração se alegra,
Hoje é o seu aniversário,
O meu privilégio,
Eu te amo meu irmão.
(Ivanderlan Siqueira)

UM DIA...

Se conhece a vida
E a própria vida te presenteia com outra vida.
As circustâncias da vida
A correria do dia a dia.
Os desencontros.
E foi
Um dia
Eu desencontrei com a vida.
Tinhamos a mesma dor
O mesmo amor
E o querer de se ver.
Por andar em passos diferentes
O que havia em nossa frente
Sempre foi a separação.
Pelo pouco que vivemos
Abraços e respeito
Alegria predominante.
Hoje meu coração
Se esvaziou de mim
Pra se encher de você.
Saudade de uma vida
Saudade do meu irmão
Meu irmão sebastião.
(Ivanderlan Siqueira)